segunda-feira, junho 09, 2008

Títulos da presunção evangélica


nicodemos
Jesus e Nicodemos

COMO AS COISAS ESTÃO MUDANDO!
João Cruzué

Quando aceitei Jesus, há trinta e poucos anos, passei por perseguições e presenciei pedras e tijolos "caindo" telhado da Igreja por causa do barulho pentecostal. Quase perdi um emprego quando deixei de comprar os cigarros do patrão, enfim, para ser crente tinha que ter coragem, e a sociedade olhava-nos com uma "lupa" e fazia questão de conferir se havia mesmo santidade. Os pastores eram homens que oravam, mesmo! Um pouco duros talvez, mas sóbrios e conscientes do perigo da presunção.

Quando analiso a Igreja Evangélica do século XXI, fico aborrecido. Não que tenha saudades do passado, pois sou perfeitamente consciente de que frieza e falta de equilíbrio já vêm acontecendo desde os tempos do Antigo Testamento. Aborrecido com os títulos cada vez mais ponposos que aparecem.

Um título de Pastor cai bem - desde que a pessoa seja um pastor de fato. Sei que há uma multidão de homens aceitando esse título ou se entitulando pastores, que são pastores de "faz-de-contas". Não foram separados nem consagrados nem possuem ministério. Um pronome de tratamento nunca fará de um crente um pastor. Aceitar uma mentira para massagear o ego das duas uma: ou é muita ingenuidade ou falha de caráter.

Mas os tratamentos evoluiram. Depois apareceu o Bispo; nome meio pomposo, é verdade, mas ainda sim discreto. Mas, apóstolo! bispa! E pior: apóstola? É de uma falta de bom senso...Sei que isso não é invenção brasileira - vêm de fora, mas como soa ridículo. Temo, todavia, que isto não pare por aí. Não me assustaria se em breve ouvisse títulos no meio evangélico tais como: "arcebispo", "cardeal", papa! Quem sabe: anjo fulano de tal; arcanjo beltrano.

Eu queria ficar calado, mas não posso. Para curar esses desvarios, Jesus uma vez deu a receita para Nicodemos: chama-se nascer de novo!

João Cruzué

.

Um comentário:

P@ulinh@ disse...

Olá. A Paz do Senhor Jesus Cristo irmão. Eu sou Paula Nascimento, tenho 19 anos e moro no Rio de Janeiro. Muito prazer. Bom, confesso que no quesito doutrinas, opiniões e "manias" religiosas é um pouco complicado de uma pessoa expor seu ponto de vista sem afetar outro, mas a liberdade de expressão foi a melhor coisa que inventaram, creio eu.[rs]
Indo direto ao assunto, eu que assim como o irmão mesmo disse: " Queria ficar calado, mas não posso."_ Eu também não posso. Não só porque sou membro de uma congregação em que o pregador é uma mulher, como também é Bispa. Talvez possa passar na sua mente agora: " Mais uma rebelde" _ ou qualquer coisa parecida. Mas não. Ela foi titulada pela convenção que participa, que não vem ao caso citar o nome, (ainda que eu queira pois é bem reconhecida)por questões de ética. Não vejo problema algum um servo de Deus, a quem Ele próprio deu a responsabilidade de apascentar suas ovelhas, ser titulado Bispo(a) ou apóstolo(a) ( assim como Paulo). Entendo que por aí hoje em dia nós vemos em muitos casos coisas absurdas, mas nunca esquecendo que não podemos generalizar, porque aí entra a palavra "MATEUS 7". não querendo entrar muito em detalhes, onde eu estou congregando, mesmo tendo nascido em um lar evangélico, passei por muitas coisas e vi muitos maus testemunhos de cristão e até escândalos envolvendo pastores e quase me deixei abater por essas coisas, até que conheci esta congregação no qual estou falando e com toda convicção lhe digo: Vi sobrenaturais de Deus, a minha vida mudou, aprendi muito mais e estou absolutamente satisfeita. Se é Bispo, pastor, diácono, não me interessa irmão. eu quero ver resultado. a palavra diz: "Conhecereis a árvore pelos frutos" e eu vejo frutos maravilhosos. Sei que a palavra diz: "Basta o discípulo ser como seu Mestre. Se chamaram ao pai de família pai de Belzebu, quanto mais aos seus domésticos". Mas ela também diz em Romanos 13 onde termina assim: "Portanto dai a cada um o que deveis:a quem tributo, tributo; imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem HONRA, HONRA."
Espero que assim como respeito (mas não concordo) a sua postagem, seja eu compreendida.
Muito obrigado pela sua atenção, que a Paz do Senhor Jesus Cristo lhe acompanhe sempre.